sexta-feira, 27 de abril de 2012

A regra


Houve um dia em que as pessoas tiveram vergonha pela imbecilidade. Delas ou dos outros.

E, de repente, a imbecilidade virou regra.

E a defesa dela, diziam, era defesa da liberdade, como se aquilo não fosse uma imbecilidade.

E ninguém mais se envergonhou por ser imbecil.

E alguém lembrou que aquilo havia começado bem antes. Que alguns avisaram, apontaram a imbecilidade. Mas acharam que era brincadeira, exagero ou grosseria.

E alguém falou da meritocracia. Como se não fosse farsa.

E não havia ninguém constrangido com a situação. Ninguém.

Logo depois, alguém apagou a luz e fechou a porta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário