quarta-feira, 25 de abril de 2012

Fora do lugar


Abriu a porta com dificuldade. Estava delicadamente bêbada.

Entrou no quarto do hotel arrastando os dedos pela parede e bateu a porta. Depois de alguma insistência, conseguiu encaixar a chave no devido lugar e as luzes se acenderam.

Pôde enxergar. Seus olhos pararam na cama. Havia algo de estranho. Não estava louca. Bêbada, talvez. Mas não era efeito do álcool.

Era jovem. As coisas estavam meio bagunçadas. Só. Não era seu quarto de casa. Mas saberia.

Foi até o banheiro. Lentamente. Como que se escondendo, olhou da porta. Procurou alguém escondido lá. Não havia. Tudo no lugar. Não sabia ao certo. Tinha uma sensação.

Analisou a mesa. Atrás das cortinas. Sob a cama. Abriu o armário. Nada. Não achou nada fora do lugar. Nenhuma imprecisão.

Pegou um pijama e tirou o vestido delicado que usava. E deitou. Ainda pensando no que poderia estar fora do lugar.

Foi quando percebeu que havia um homem ali. Ao seu lado. Na cama. Nu. Completamente nu. Olhou pra ele um pouco.

E decidiu dormir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário