terça-feira, 13 de março de 2012

"Fale somente o indispensável" no Bar do Escritor



Dentro de um ônibus, ela está sentada em um banco.
Ele entra e, ao passar pela roleta, vê ela sentada. Sente um frio na espinha. Quando ela percebe a entrada dele, congela. Desvia o olhar, esperando que ele não perceba sua presença ali.
Tarde demais: ele vai em direção ao banco onde ela está, fazendo-a olhar pela janela, numa tentativa de ignorar a aproximação dele.
- Oi.




O texto integral tá no Bar do Escritor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário